segunda-feira, 14 de novembro de 2011

The Children saved in Cabo Verde

Ao ler este texto, lembro-me dos episódios que a minha irmã e a sua amiga contaram-me. Ambas fizeram os partos no hospital da cidade capital de Cabo Verde. Já imaginaram a parteira a esbofetear a sua mulher chamando-lhe de puta ou dizer que a dor de parto é brio dela? Porque não entrevistar as mulheres que tiveram filhos nas diferentes maternidades em CV em vez de publicarem certos rankings?

São coisas bem engraçadas que até parece que no Hospital Agostinho Neto tem os amadores de saúde mas enfim, cá vamos nós outra vez a auto-satisfazer com os rankings da palhaçada. Se as palmas das mãos crescesse as verrugas em cada "aquela coisa", com certeza que nem sequer podia escrever este texto de tantas verrugas mas também ninguém teria a pachorra de confrontar com este texto.

Eu adoro Cabo Verde e os caboverdeanos! São coisas como essa que nos dão uma determinada particularidade que até achamos ser superior aos outros africanos, se calhar por isso que eles são "mandjacos".

Sem comentários:

Enviar um comentário