quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Contrainformar

Bem que eu disse que um caroço da brasa caiu no barril da pólvora política cabo-verdiana e que os bombeiros temos excelentes. Mal deu a colisão, temos ataques e contra-ataques com tristezas, choques e outros. Ainda nem sequer o barril explodiu, continua o caboverdeano embrutecido sem saber nada!

Sem querer ser advogado do diabo, apeteceu-me mandar duas ou mais bocas quando o Liberal online noticiou aquele episódio de uma suposta birra do deputado Abraão Vicente consultando certas fontes do MpD sem sequer ouvir a sua parte. Não gostei da atitude do jornal mas fazer o quê?

Agora por coincidência ou não e nem me lembro como, ontem entrei no blog Aventar e dei com isto. Li e gostei da crónica em causa e pronto, continuei a minha viagem na net. Agora hoje ao ler esta "notícia" no jornal Asemana online e a reacção dos cabo-verdianos, pensei: porque será? Será que os comentadores reflectem sobre aquilo que lêem ou simplesmente comentam? 

Infelizmente se continuarmos com estas jogadas de distorção, notícias que nos convém, ataques e contra-ataques. Chegaremos lá mas gastando muito mais tempo do que necessário! Todos têm o direito de escrever, dizer, gostar o não gostar de qualquer que seja algo em causa. Mas distorcer com o propósito de desinformar, difamar, caluniar ou contrainformar, abomino categoricamente.

Credibilidade dos jornais cabo-verdianos? Depende do ponto de vista. Agora lembro-me do antigo blogger cabo-verdiano, Amílcar Tavares(volta Mica!), que escreveu um post: "porque não leio os jornais de Cabo Verde".

Sim, os políticos são para governar e não para gostar.

Sem comentários:

Enviar um comentário