sexta-feira, 27 de julho de 2012

Buresa ta leba bestesa

É isso mesmo, "buresa ta leba bestesa" e, cá comigo, existe muita estupidez ao mais alto nível em Cabo Verde. Este episódio lembrou-me um outro episódio que aconteceu comigo no Ministério do Ambiente em Ponta Belém, Cidade da Praia. Fui lá procurar umas informações e, ao chegar, disse para o segurança:

- Boa tarde! Nhu ta podeba flan, por favor, undi ta fica secretaria des ministério!? Nsta mes...

O segurança interrompeu-me a conversa: - Nhu ka podi entra li! Respondi meio parvo: - Pamodi!? - Nhu tene kalça pé curto - disse ele novamente.

É claro que a minha reacção não foi como desse senhor(mas o "obrigado!" que disse-lhe soou à PUTA QUE PARIU!), desci a Sucupira e pedi a um condutor de hiace que me deixasse mudar de calça que eu tinha na minha mochila. Gentilmente o condutor deixou-me mudar de calças e subi novamente àquela subida dentro do sol quente e um calor infernal que se fazia na cidade da Praia. Ao chegar novamente, disse ao segurança num tom irónico:

 - Já agora, qual é a língua que devo falar aqui dentro? Respondeu ele a sorrir - Kel ki nhu dá!

Às vezes a situação é tão ridícula que leva a uma outra estúpida. Se calhar é por isso que o Governo de Cabo Verde quer cobrar a Taxa Ecológica para depois obrigar as pessoas a entrar numa instituição pública de fato e gravata num país muito quente. Muita ecologia nas mentes tacanhas crioulas!

Em Portugal, apesar dos atrasos óbvios a nível europeia, nunca nenhum segurança barrou-me entrar numa Loja de Cidadão ou uma outra instituição pública qualquer por causa da minha roupa mas em Cabo Verde isso é possível. Se calhar é por isso que somos exemplos em África!

Sem comentários:

Enviar um comentário